fundo

30 de janeiro de 2013

A falta de tempo.



A falta de tempo para fazer aquilo que gosto deixa-me triste.
Não tenho tido tempo para cá vir. E faz-me falta.

Tenho andado cheia de trabalho, cheia de coisas para fazer.

Não tenho andado propriamente feliz e também me custa vir aqui depositar só coisas tristes e "menos boas". 
Eu sei que este espaço é meu, que serve para eu falar daquilo que quero e penso. Daquilo que me vai na alma e no coração. 
Mas não gosto que fiquem aqui (só) relatadas coisas tristes, ou que me entristeçem.

Este ano prometi a mim mesma que vou fazer o esforço de apenas me preocupar com as coisas realmente importantes, com as pessoas que realmente interessam. 
Tenho tentado fazê-lo a cada dia. 

Mas juro que me custa. Custa-me tanto aceitar algumas situações. 
É do meu feitio concerteza, mas confesso que gostava de ser diferente em alguns aspectos, e conseguir descartar gente e episódios com facilidade.

Obrigada a toda a gente que aqui vem e me acarinha.
Fazem toda a diferença*

12 tretices:

Miú Segunda disse...

Querida Raquel:
Devemos realmente tentar dar importância apenas a quem é importante para o nosso coração... Mas nem sempre é fácil! Há por aí muito boa gente que se empenha em fazer-nos a vida negra - ou pelo menos cinzenta :( Há que os afastar das nossas emoções!
Um beijinho

A nossa viagem.... disse...

Beijinho grande nosso e muito miminho!! Estamos sempre aqui para animar os teus dias mais cinzentos!

Sofia Loves disse...

Um grande beijinho! :)

Sara disse...

Todos temos maus dias, o importante mesmo é valorizar os bons! Beijinhos

Turista disse...

Força aí Raquel, que a parte mais difícil, já está tomada: a mudança de atitude! :)

Pampa disse...

A mim ajuda me muito escrever, acho que, comigo, resulta melhor, como desabafo, do que falar. E a verdade é essa, este cantinho é teu. Eu uso, o meu, como um caderno onde vou escrevinhando e deixando coisas que sinto, boas ou más. Se te faz bem, usa-o ( este teu cantinho ) da melhor forma, da forma que melhor te faz sentir.
Um beijinho grande de força

Ana disse...

Já estranhava a tua ausência mas compreendo a tua decisão. Eu também não gosto de escrever sobre o que me deixa triste, desapontada, preocupada... Mas a verdade é que às vezes ajuda, porque nos permite sentirmo-nos ouvidas e compreendidas... O que importa é que consigas cumprir a tua resolução de ano novo. A minha foi também isso: centrar-me no que é importante. Tenho feito um esforço enorme mas ajuda-me a serenar. Isso faz-nos mesmo melhores. Sei que o vais conseguir também. Um beijinho

Ri+John disse...

Tenho sentido que a principal razão de ter deixado de escrever no meu blog é essa: só me apetece escrever quando estou em baixo, quando corre mal, quando é um desabafo que preciso. Mais do que a partilha das coisas boas, que essas prefiro fazer pessoalmente...
Acho que não és fora do normal - e se és, então não estás sozinha porque também sou assim.
O meu marido costuma dizer-me que sou a principal inimiga de mim própria, porque tenho grandes expectativas nas pessoas, nas situações... e ultimamente tenho-me desiludido muito. Demais, acho. Parece que entrei numa fase em que todos passaram a olhar exclusivamente para o seu umbigo (e se calhar também o faço), e vale tudo, vale mesmo tudo.
Por isso força, pensa no que tens de melhor e centra-te nisso.
Deixo-te a frase que é a frase do meu mês: Do it for love, but know your worth.

Mtos bjs

sandra disse...

Força Raquel a mudança de atitude é um passo muito importante,bjinhos

Magui disse...

E como sempre nas nossas "vidas gémeas" eu estou na mesma fase, escrevi exactamente o mesmo sem saber do teu texto e tu sem saberes do meu... Os meus dias ou são chatos ou maus e nesses decido escrever no blog, quando chegam os bons vou aproveitá-los e não conto lá nada e quando se vê é tudo uma tremenda nuvem negra... Fazer o quê? Ainda assim gosto sempre de te ler, de ler o cor-de-rosa, de ler o vermelho e de ler o preto e o cinzento também!
Um beijinho gigante

Princesa sem Reino disse...

Estou aqui minha querida, sempre que precisares. Longe mas à distância curta de um telemóvel!Um beijo enorme

raquel disse...


um beijo enorme e sentido.
obrigada por estarem desse lado e por me dedicarem palavras tão doces*

Quem passa por cá